Carregando ...

Praça da Catedral, s/nº - Centro - CEP: 13400-150 - Piracicaba-SP

(19) 3422-8489
A Voz do Pastor › 04/08/2017

Dia do Padre

Caríssimos irmãos e irmãs:

No próximo dia 04 de agosto, festa de São João Maria Vianney, o Cura d´Ars, celebra-se o dia do padre.

Em 1818, o jovem padre é enviado à Ars, pequeno vilarejo da França com aproximadamente quinhentas “almas” pouco cristã. Nela exerceu o ministério presbiteral até a morte com incansável zelo pastoral. Passou uma grande parte de sua vida no confessionário e através da austeridade de sua vida, à amabilidade e à simplicidade de suas maneiras, à sua intensa energia sobrenatural sob a aparência frágil atraiu e cativou uma multidão de pessoas para Cristo. Foi canonizado pelo Papa Pio XI e é venerado como modelo dos párocos.

De muitos ditos do São Cura d´Ars este chama a atenção: “Quando vamos adorar a Deus, podemos alcançar tudo o que desejamos, se o pedirmos com fé vira e coração puro”.

Apoiados neste dito do venerável santo, inseridos no mês vocacional e celebrando o dia do padre quero apresentar alguns princípios fundamentais relacionados ao sacramento da ordem presentes no Catecismo da Igreja Católica e em seguida propor uma oração pelos nossos padres.

A Ordem é o sacramento graças a qual a missão confiada por Cristo aos seus Apóstolos continua sendo exercida na Igreja até o fim dos tempos; é, portanto o sacramento do ministério apostólico. Comporta três graus: o espiscopado, o presbiterado e o diaconado.

No Antigo Testamento, Deus quis escolher dentre as doze Tribos de Israel, uma tribo sacerdotal, a Tribo de Levi e designou-a para o serviço litúrgico. Assim os sacerdotes já na Antiga Aliança foram constituídos pra intervir em favor dos homens em suas relações com Deus, a fim de oferecer dons e sacrifícios pelos pecados.

No Novo Testamento Cristo é revelado enquanto o sumo e eterno sacerdote do Altíssimo e através do gesto salvífico fez da Igreja um reino de sacerdotes, uma nação santa para a glória de Deus Pai. Assim, no Senhor e pelo sacramento do batismo formamos a comunidade sacerdotal, isto é, somos incorporados a missão do Cristo Sacerdote, Profeta e Pastor. Por isso dizemos que todo batizado possui em si o sacerdócio comum dos fiéis.

Dentre aqueles que possuem o sacerdócio comum dos fiéis alguns são chamados, consagrados e enviados para a missão através do sacramento da ordem. A eles a Igreja transmite através do gesto sacramental o sacerdócio ministerial para agirem “in persona Christis”, isto é, em nome e a maneira do Cristo. Porém não se deve compreender como se estes estivessem imunes de todas as fraquezas humanas, dos erros e principalmente dos pecados.

A missão que o Senhor confiou através da Igreja aos presbíteros é um verdadeiro serviço. Eles são os colaboradores diretos da ordem episcopal, auxiliam na santificação e no pastoreio da messe, são consagrados para pregar o evangelho, apascentar os fiéis e celebrar o culto divino.

O rito essencial do sacramento da Ordem consta da imposição das mãos pelo bispo sobre a cabeça do ordenado e da oração de consagração que pede a Deus a efusão do Espírito Santo. Durante o ordenação sacerdotal ocorre a unção das mãos com o óleo do Crisma e a entrega do cálice e da patena com o pão e o vinho.

Com este rito de ordenação o presbítero torna-se vinculado a uma Diocese ou a uma Ordem ou ainda a uma Congregação Religiosa. Assim, a tarefa dos padres é, geralmente, a de cuidar de determinada região, chamada paróquia. Aquele que tem a direção da paróquia é o pároco; os padres que o ajudam denominam-se vigários paroquiais. Há, porém, muitos padres que não estão nas paróquias, mas realizam de outra maneira o serviço da evangelização como em faculdades, escolas, orfanatos, asilos, etc.

Por isso, neste dia dedicado aos padres façamos a nossa oração: “Senhor, dignai-vos cumular dos dons do Espírito Santo aqueles que foram elevados ao grau do sacerdócio, a fim de que sejam dignos e mantenham-se irrepreensíveis diante do vosso altar, sejam sempre anunciadores e acolhedores o vosso evangelho, oferecendo dons e sacrifícios espirituais e que se assemelhem cada vez mais ao vosso amado Filho Jesus Cristo e recebam de vossa imensa bondade a recompensa de uma fiel administração de sua ordem. Amém”.

Mons. Ronaldo Francisco Aguarelli – Pároco

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.