Carregando ...

Praça da Catedral, s/nº - Centro - CEP: 13400-150 - Piracicaba-SP

(19) 3422-8489
Pastoral da Saúde

Pastoral da Saúde

“Curai os enfermos!” (Mt 10,8). A Igreja recebeu esta missão do Senhor e esforça-se por cumpri-la tanto pelos cuidados aos doentes como pela oração de intercessão com que os acompanha. Ela crê na presença vivificante de Cristo, médico da alma e do corpo. Esta presença age particularmente por intermédio dos sacramentos e, de modo especial, pela Eucaristia, pão que dá vida eterna a cujo liame com a saúde corporal São Paulo alude. [CIC 1509].

Na tradição litúrgica, tanto no Oriente como no Ocidente, constam desde a Antiguidade testemunhos de unções de enfermos praticadas com óleo santo. No curso dos séculos, a Unção dos Enfermos foi cada vez mais conferida exclusivamente aos agonizantes. Por causa disso, recebeu o nome de “Extrema-Unção”. Apesar desta evolução, a liturgia jamais deixou de orar ao Senhor para que o enfermo recobre a saúde, se tal convier à sua salvação. [CIC 1512].

A graça especial do sacramento da Unção dos Enfermos tem como efeitos:  a união do doente com a paixão de Cristo, para seu bem e o bem de toda a Igreja; reconforto, a paz e a coragem para suportar cristãmente os sofrimentos da doença ou da velhice; perdão dos pecados, se o doente não pode obtê-lo pelo sacramento da Penitência; restabelecimento da saúde, se isso convier à salvação espiritual e a preparação para a passagem à vida eterna. [CIC 1532].

Sabemos que a vida e a saúde física são bens preciosos doados por Deus. Devemos cuidar delas com equilíbrio, levando em conta as necessidades alheias e o bem comum. [CIC 2288].O cuidado com a saúde dos cidadãos requer a ajuda da sociedade para obter as condições de vida que permitam crescer e atingir a maturidade: alimento, roupa, moradia, cuidado da saúde, ensino básico, emprego, assistência social.

A Pastoral da Saúde tem por objetivo “evangelizar com renovado ardor missionário o mundo da saúde, à luz da opção preferencial pelos pobres e enfermos, participando da construção de uma sociedade justa e solidária, a serviço da vida”. É uma ação evangelizadora de todo o povo de Deus, comprometido em promover, preservar, defender a saúde e celebrar a vida, tornando presente no mundo da saúde a ação libertadora de Jesus.

Mas o que é ter saúde?

Para a Organização Mundial da Saúde, para a Constituição Brasileira, para o Sistema Único de Saúde, ter saúde é ter qualidade de vida. E, ter qualidade de vida é ter todas as necessidades básicas satisfeitas. É ter direito à moradia, emprego, salário justo, alimentação, escola, transporte, lazer, atendimento médico digno, enfim é ter tudo que uma pessoa humana precisa para viver bem.

Para o cristão, ter saúde é ter vida plena nos níveis físico, mental, social e espiritual. É viver em harmonia consigo mesmo, com as outras pessoas, com a natureza e com Deus.

A equipe é composta por 13 agentes de pastoral, que se reúnem, na Catedral, todas às quartas feiras às 14h30 para um momento de oração, aprofundamento do sentido de seu ministério e busca de apoio mútuo para a atuação junto às pessoas doentes e idosas.

Após este encontro de fortalecimento espiritual, os agentes saem em duplas para as visitas aos enfermos, que foram previamente avisados.

Nas visitas, além do apoio espiritual, através das orações, o agente da pastoral da saúde verifica se há alguma necessidade material a ser atendida. Se houver, socorre-se dos recursos provenientes da Pastoral do Dízimo.

Em situações especiais e sempre que necessário, o sacerdote atende diretamente o doente para ministrar os sacramentos da Confissão e da Unção dos Enfermos.

Com este trabalho, os agentes da Pastoral da Saúde procuram dar ao doente e à sua família o apoio que fortalece e assim procuram “erguer os que estão humilhados (pela doença), doar-se aos pequenos e aos pobres e nas trevas (da doença) brilhar como luz.

Requisitos necessários para o Agente da Pastoral da Saúde ou Visitador de Doentes:

Equilíbrio psicológico: é preciso saber controlar as emoções; participação na vida da Comunidade Paroquial; básico conhecimento da bíblia e da doutrina cristã católica; facilidade de comunicação e capacidade de dialogar em situações de sofrimento e conflito; capacidade de acolher os sofrimentos, as esperanças e as alegrias das pessoas; saber trabalhar em equipe e ter visão sobre a pastoral de conjunto; tem que ser um perito em “medicar a dor da alma”, etc.

Na Catedral, às 15h00, celebra-se toda segunda quinta-feira de cada mês a Missa da Saúde. Atualmente a coordenadora da pastoral é a Ada Pereira.