Carregando ...

Praça da Catedral, s/nº - Centro - CEP: 13400-150 - Piracicaba-SP

(19) 3422-8489
Pastoral do Dízimo

Pastoral do Dízimo

O termo: Dízimo significa a décima parte, em Hebraico era ma’aser e no grego dekate, ou como era mais usual: apodekato, ou seja, dar a décima parte. O termo dízimo vem do latim, decimus, que significa igualmente a décima parte de um todo. Mas a prática de entregar, doar, pagar, devolver passou por várias mudanças ao longo dos tempos, adaptando-se às realidades e ampliando seu significado espiritual.

Nos Patriarcas: Encontramos referência ao dízimo no livro do Gênesis (Gn 14,20) onde Abraão entrega a décima parte de tudo o que conquistou na guerra contra Codorlaomor e seus reis aliados, a Melquisedec (Hb 71-3). Sua motivação porém, foi outra – RECONHECIMENTO – GRATIDÃO E FÉ. Reconhecia o senhorio de um único Deus, era grato por este Deus ter agido em seu favor, e fé de que este Deus o estava conduzindo à terra prometida. Uma espiritualidade nova e inovadora, que norteou a prática do dízimo na vida de seus descentes: Isaac e Jacó, esse último, ofereceu seus dízimos após longa jornada, e o faz com sua produção de animais.

Nas Primeiras Comunidades Cristãs:O cristianismo, tendo suas bases transformadas por Jesus, com sua mensagem impactante de amor, viveu a experiência da partilha plena, onde colocavam tudo em comum. Estudiosos mostram que a motivação dos primeiros cristãos podia ser a de que aguardavam a vinda de Jesus para uma brevidade que não aconteceu. Contudo, notamos uma releitura sobre as ajudas à Igreja por meio de São Paulo na carta aos Coríntios nos capítulos 8 e 9.

O Dízimo na Igreja do Brasil:A Igreja do Brasil, atenta e preocupada com as inadequadas formas de alocação de recursos tais como: taxas, espórtulas, festas de padroeiros entre outras, opta pelo dízimo como meio de autossustentação. Um resgate por uma espiritualidade a ser compreendida e vivida pelos fiéis católicos.

Dízimo: A devolução espontânea já é realidade na grande maioria das paróquias no Brasil. Os fiéis são livres para contribuírem com a quantia que puderem ou desejarem. O Novo Catecismo promulgado em 2005 traz a alteração do quinto mandamento da lei da Igreja que confirma essa nova perspectiva sobre essa prática. O que era: pagar o dízimo segundo o costume, passa a ser: Atender as necessidades da comunidade segundo as possibilidades de cada um.

Mas com quanto cada fiel pode participar?Os fiéis são livres para decidir. É dever e direito nosso dar a entender aos fiéis que partilhar não é dar o que nos sobra e sim o que o outro precisa. A participação dos fiéis deve ser baseada em sua conversão e não na obrigatoriedade. Deve nascer da gratuidade do coração e não da culpa do bolso. Devemos evangelizar sob os caminhos da teologia do amor e não da dor. Não se trata de esmola mas do reconhecimento do Senhorio de Deus em nossas vidas e do conhecimento de que somos chamados à partilha, às obras de misericórdia.

A pastoral do dízimo em nossa comunidade é a responsável pela manutenção das atividades pastorais, catequéticas, sociais, missionárias e patrimoniais da paróquia. Os recursos são captados pelas ofertas (nas missas) e dízimos (carnês mensais) e as promoções.

Para ser dizimista: dirigir-se à secretaria paroquial ou ao plantão do dízimo existente, antes ou após as missas de final de semana. Atualmente os coordenadores da pastoral é o casal: Ada e Antônio Pereira

Oração do Dízimo: Pai de Misericórdia, quando vejo Jesus, o Filho bem amado, pregado no alto da cruz, fico tocado diante da oferta das ofertas. A oferta que salva a todos de tudo. A oferta mais preciosa do coração do Pai: o Filho. Desta oferta brota o dom do Espírito Santo: a sabedoria, a força e o discernimento no caminho para o coração do Pai. Por isso, faço a minha oferta do dízimo, exercitando o meu coração para a solidariedade que cura o egoísmo. Para a partilha que equilibra a vida no mundo. Para a generosidade que gera bênçãos e fecundidade. Ofereço, Pai, de todo coração, tudo o que posso. Amém.