Praça da Catedral, s/nº - Centro - CEP: 13400-150 - Piracicaba-SP

(19) 3422-8489
Artigos › 01/10/2019

Você deseja alcançar a felicidade?

formacao-1600x1200-voce-deseja-alcancar-a-felicidade-768x575

Dia após dia eu a vejo nos jornais, nas revistas, na TV, nas ruas. Mas o que tem sido interessante é percebê-la nos rostos, nos olhares, nas atitudes. Em busca da felicidade ou do que acreditamos ser felicidade, nos deparamos com muitas situações difíceis, e vivemos distantes daquilo que seríamos se fôssemos realmente felizes.

E, muitas vezes, até é possível enganar-se e afirmar com veemência, mas sem muita certeza: ‘Sou feliz desta forma’, ou ‘Isso é o que me faz feliz’. E, aqui, eu entro no ponto em que quero chegar. Descobri que não é possível ser feliz sem lutar pela felicidade. E lutar significa que temos de sofrer as pancadas e tropeços do caminho de busca, que temos de, às vezes, parar para avaliar o porquê caímos; o porquê estamos longe do caminho certo; e levantar ainda com mais garra para reiniciar a busca que é constante, mas não infinita! Não, não é infinita! Temos uma garantia de que, um dia, poderemos ser eternamente felizes.

E, agora, chegamos a um ponto de decisão. Eu afirmo para você (antes e mais ainda para mim): felicidade está bem perto de nós o tempo todo, e a linha que nos separa dela é tênue. E o mais importante é que ela está no lugar em que mais temos dificuldade de ir. É dentro de nós que devemos buscá-la. É Deus quem nos concede, mas somos nós quem a retemos.

A verdadeira felicidade

A verdadeira felicidade está escondida atrás dos nossos medos os quais cobrimos com nossas máscaras. Eles nos impedem de enxergarmos as causas da nossa infelicidade, e ficamos na superficialidade das nossas vontades, preferindo pequenos agrados ao invés da felicidade plena. Assim, nos deixamos levar pelos prazeres da vida e nos tornamos egoístas numa busca insaciável por uma felicidade individualista, que só se importa com a felicidade do outro muito tempo depois da nossa satisfação pessoal. E um segundo é muito tempo quando deixamos de amar, quando deixamos de ser bons, quando não pensamos no mal que podemos ter feito com nossas palavras e atitudes para satisfazer ao nosso ego, para nos mostrarmos fortes e superiores.

Paradoxalmente, a verdadeira felicidade está intimamente ligada aos nossos sofrimentos, não pela sua existência, e sim pela forma como lidamos com eles. Se você me perguntar a receita para ser feliz eu vou te dizer: “só em Deus se é feliz”; mas é uma receita difícil. Porém, para ser infeliz é só começar a negar o sofrimento e não tentar tirar dele o bem maior. Entenda: o sofrimento por si não traz a felicidade. Mas é inegável que, quando se aprende e se cresce com o sofrimento, chegamos muito mais perto da felicidade plena. É por isso que admiro os Santos Mártires.

Muitos podem pensar que dar a vida por uma causa, por um ideal é masoquismo; é um querer sofrer. Eu penso que é a verdadeira busca pela felicidade. Desde que esse ideal não custe a vida de mais ninguém e vise somente o bem, sem fundamentalismo! E, se é assim por um ideal, que grande felicidade é dar a vida por alguém e por amor a Deus! Talvez, seja muito difícil para você entender tudo isso, pode ser que você não aceite. O que importa é que você comece a buscar a felicidade onde ela está. Você já sabe como!

Termino citando minha querida amiga Luzia Santiago: “É preciso sofrer sem nunca deixar de amar”. E ser feliz, sempre! Amém.

Por Alexandre Firmino, via Canção Nova

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.